Gostou? Então Compartilhe:

A Aposentadoria por tempo de contribuição – Hoje falaremos mais sobre isso.

Aposentadoria por tempo de contribuição

Aposentadoria por tempo de contribuição

A Aposentadoria por tempo de contribuição

A Aposentadoria por tempo de contribuição é um benefício devido ao cidadão que comprovar o tempo total de 35 anos de contribuição, se homem, ou 30 anos de contribuição, se mulher.

Aposentadoria por tempo de contribuição: Principais requisitos

Regra 85/95 progressiva

  • Não há idade mínima;
  • Soma da idade + tempo de contribuição;
  • 85 anos (mulher);
  • 95 anos (homem);
  • 180 meses efetivamente trabalhados, para efeito de carência.

Regra com 30/35 anos de contribuição

  • Não há idade mínima;
  • Tempo total de contribuição;
  • 35 anos de contribuição (homem);
  • 30 anos de contribuição (mulher);
  • 180 meses efetivamente trabalhados, para efeito de carência;

Regra para proporcional

  • Idade mínima de 48 anos (mulher) e 53 anos (homem).

Tempo total de contribuição

  • 25 anos de contribuição + adicional (mulher);
  • 30 anos de contribuição + adicional (homem);
  • 180 meses efetivamente trabalhados, para efeito de carência.

Documentos originais necessários

  • Documento de identificação válido e oficial com foto;
  • Número do CPF;
  • Carteiras de trabalho, carnês de contribuição e outros documentos que comprovem pagamento ao INSS;
  • Se precisar, veja outros documentos para comprovação que podem ser apresentados.

Aposentadoria por tempo de contribuição: Outras informações

Tempo exigido para proporcional: o adicional de tempo citado na regra transitória corresponde a 40% do tempo que faltava para o cidadão atingir o tempo mínimo da proporcional que era exigido em 16/12/1998 (30 anos para homem e 25 para mulher). Exemplo: um homem que tinha 20 anos de contribuição nessa data, precisava de 10 para aposentar-se pela proporcional. Logo, para aposentar-se pela proporcional hoje, deverá comprovar 34 anos (30 anos + 40% de 10 anos).

Valor da aposentadoria proporcional: a aposentadoria proporcional tem valor reduzido, que vai de 70 a 90% do salário-de-benefício. Confira as regras de cálculo.

Adicional de 25% para beneficiário que precisa de assistência permanente de terceiros: somente o aposentado por invalidez possui este direito.

Período de carência: para ter direito a este benefício, é necessário que o cidadão tenha efetivamente trabalhado por no mínimo 180 meses. Períodos de auxílio-doença, por exemplo, não são considerados para atender a este requisito (carência);

Fim da aposentadoria proporcional: a aposentadoria proporcional foi extinta em 16/12/1998. Só tem direito a esta modalidade quem já contribuía até esta data;

Requerimento por terceiros: caso não possa comparecer ao INSS, você tem a opção de nomear um procurador para fazer o requerimento em seu lugar.

Para maiores informações acesso o site oficial da Previdência Social através deste link.

Gostou?

Conte-nos como isso te ajudou.